regina@cryptoid.com.br

Estamos em novo endereço. Encontre-nos lá!

Faça parte desse projeto você também!

Conteúdo

O objetivo desse Blog é apresentar essa fantástica e importante tecnologia, de forma simples, para que pessoas que não dominam aspectos técnicos também possam acompanhar a evolução da adoção da Certificação Digital e o universo que gira ao seu redor:

Certificado Digital para Assinatura e Sigilo, Certificado de Atributo, Carimbo do Tempo, Documentos Eletrônicos, Processos Eletrônicos, Nota Fical Eletrônica, TV Digital, Smart Card, Token, Assinador de Documento, Gerenciador de Identidades etc..

Este Blog publica matérias e artigos extraídos da mídia que expressam a opinião dos respectivos autores e artigos escritos por mim que expressam, exclusivamente, minha opinião pessoal sem vínculo a nenhuma organização.

Matérias organizadas por data de publicação

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Um terço das empresas usará biometria em dispositivos móveis até 2016

Preocupadas com a segurança em ambientes corporativos, 30% das organizações deverão usar autenticação biométrica em dispositivos móveis até 2016, segundo previsão do Gartner divulgado nesta terça, 4. Atualmente, 5% das empresas utilizam o recurso, que substitui senhas complexas e medidas de segurança comuns em PCs.


De acordo com o instituto de pesquisas, smartphones e tablets possuem as mesmas aplicações e dados críticos do que computadores, mas não oferecem o mesmo nível de segurança.

O problema se agrava porque a implantação de políticas de proteção em dispositivos móveis pessoais no trabalho (prática do BYOD) acaba implicando em problemas de privacidade e direitos do usuário. Além disso, Senhas complexas são mais difíceis de serem digitadas em telas sensíveis ao toque.

Assim, a recomendação é que as companhias passem a usar mais a autenticação biométrica. Isso inclui interatividade humana, reconhecimento de voz, topografia da face e estrutura da íris. Apesar da conveniência, o Gartner aconselha a não abandonar as senhas convencionais, pois isso permite uma autenticação de dois passos mais segura.

Não há menção na previsão ao sensor biométrico de leitura digital, como o incorporado no final do ano passado no iPhone 5S, como uma alternativa. Entretanto, o mercado já especula que competidores como Samsung e LG adotem o recurso (que não foi inventado pela Apple, diga-se de passagem), o que pode popularizar essas ferramentas junto ao consumidor final.


Formatar remotamente não resolve

Outro problema, aponta o Gartner, é na hora de realizar o wipe-out (limpeza total) do aparelho em caso de roubos. Segundo a empresa, o risco continua porque os discos de estado sólido (SSD, usados em smartphones e tablets, além de ultrabooks) são "quase impossíveis de serem apagados". A melhor técnica seria usar criptografia que não tenha uma chave acessível após uma operação de formatação rápida do aparelho.


Fonte:http://convergecom.com.br/tiinside