regina@cryptoid.com.br

Estamos em novo endereço. Encontre-nos lá!

Faça parte desse projeto você também!

Conteúdo

O objetivo desse Blog é apresentar essa fantástica e importante tecnologia, de forma simples, para que pessoas que não dominam aspectos técnicos também possam acompanhar a evolução da adoção da Certificação Digital e o universo que gira ao seu redor:

Certificado Digital para Assinatura e Sigilo, Certificado de Atributo, Carimbo do Tempo, Documentos Eletrônicos, Processos Eletrônicos, Nota Fical Eletrônica, TV Digital, Smart Card, Token, Assinador de Documento, Gerenciador de Identidades etc..

Este Blog publica matérias e artigos extraídos da mídia que expressam a opinião dos respectivos autores e artigos escritos por mim que expressam, exclusivamente, minha opinião pessoal sem vínculo a nenhuma organização.

Matérias organizadas por data de publicação

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Ferramentas colocam Brasil na vanguarda da cidadania online

Aplicativos e sites possibilitam desde a resolução de problemas locais até o engajamento em questões nacionais

Por Murilo Roncolato
Daniel e Renata fizeram reivindicações juntos na internet, mas só se viram pessoalmente para esta foto. FOTO: Felipe Rau/Estadão

SÃO PAULO – Os jovens Daniel Graf e Renata Cabrini precisavam correr para atravessar as duas vias de uma avenida da zona oeste de São Paulo porque o tempo do semáforo de pedestres era muito curto. Os dois resolveram então comunicar o problema em um site de petições e intimar o poder público a resolvê-lo. Bastaram 700 assinaturas. O tempo do sinal foi alterado e ninguém mais precisa depender da sorte para terminar a travessia.

Já Rose de Paula, moradora da zona sul paulistana, precisou de quase 6 mil apoiadores na plataforma Change.org para impedir que as lições de música de sua filha de 8 anos fossem interrompidas, pois a sala onde ela tinha aulas daria lugar a um centro de formação profissional.

“Meu bairro é pobre. Nunca houve projeto cultural nenhum aqui. Agora que minha filha tem acesso, querem instalar isso dizendo que formar gente para serviço de telemarketing é prioritário? Não concordo”, diz Rose. “Ser mais uma peça na máquina ou aprender arte? Se eu não posso dizer que tipo de formação é mais importante, eles podem?”

Ferramentas de petição e de denúncia, voltadas para a cobrança de autoridades ou para a discussão de problemas da cidade têm se proliferado pela internet, principalmente no Brasil, onde seu uso como instrumento para resolução de problemas ou engajamento em prol de campanhas vem aumentando.

No Brasil, o número de usuários do site de petições Avaaz, que se destacou na campanha em favor da Lei Ficha Limpa com a coleta de 2 milhões de assinaturas em 2010, saltou de 1,7 milhão para 7,4 milhões (crescimento de 335%) entre 2012 e 2014. Hoje, o País representa 20% de toda a plataforma. Já o Vote na Web, que “traduz” projetos de lei em tramitação no Congresso aos usuários – que podem então votar a favor ou contra e emitir sua opinião – viu o número de usuários saltar de 13 mil em 2010 (um ano após ter sido criado) para 32 mil em 2012 (aumento de 146%) e 140 mil em 2014 (alta de 337% em relação a 2012).
“A internet pode ajudar os governos a criarem meios de transparência”, acredita Ronaldo Lemos, diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio (ITS Rio). FOTO: Divulgação

Laboratório

O advogado Ronaldo Lemos, um dos idealizadores do Marco Civil da Internet, e hoje à frente do Instituto de Tecnologia e Sociedade (ITS Rio), estreou na última semana uma espécie de catálogo colaborativo (conhecido como “wiki”) de todas as ferramentas do que chama de “democracia participativa”, “inovação cívica e novas tecnologias”, intitulado Civviki (wiki.itsrio.org).

Lemos, que vê um “déficit de representatividade” no País, espera que gestores públicos, acadêmicos e cidadãos tomem conhecimento das diversas iniciativas e estudem formas de desenvolvê-las. A equipe responsável pelo projeto deve ainda traduzir a página para inglês e incluir projetos internacionais. “O objetivo se baseia na ideia de que o Brasil vai ser o laboratório do mundo nas ferramentas de participação digital, assim como foi com o Orçamento Participativo”, diz. “Isso já está se confirmando.”

Miguel Lago, cofundador da ONG Meu Rio, de 2011, que em julho expandiu a plataforma online para outros locais e mudou o nome para “Minhas Cidades”, crê que “há uma onda de empreendedorismo social no País”. Para ele, isso se deve à existência de uma geração empreendedora e de um ambiente favorável.

Para o advogado Ronaldo Lemos, a internet é a oportunidade para “ajudar governos” a criarem formas de “transparência e diálogo” com a sociedade. “Essas ferramentas não competem com a democracia, nem poderiam”, explica. “A ideia é tornar a democracia mais amigável para esse mundo mais conectado, mesclando a política tradicional com ferramentas online. Um dia elas serão indissociáveis.”

Do lado do cidadão, as ferramentas têm atuado como instrumentos de pressão, debate, propulsores de alcance – pela exposição que ganham nas redes sociais –, criando assim conexões entre cidadãos em torno de temas em comum. “Sem elas”, diz o designer Daniel Graf “minha reclamação do semáforo poderia ter caído no esquecimento”.

Fonte:http://blogs.estadao.com.br

domingo, 31 de agosto de 2014

Global Summit 2014: Trends in IAM - Cloud, Mobile, and BYOD

Global Summit 2014: Unique Problem Solving with Security Analytics


Global Summit 2014: Analyzing the iBanking Mobile Trojan